Manifestantes começam a desmontar acampamento no entorno da sede da Polícia Federal

(Foto: Ana Flávia Silva/BandNews FM Curitiba)

Quase nove dias após o início da ocupação nas proximidades da Polícia Federal, os militantes decidiram transferir o acampamento em solidariedade ao ex-presidente Lula. A decisão foi tomada em comum acordo após uma reunião, nesta segunda-feira (16), entre a organização dos movimentos sociais, representantes do governo e da prefeitura.

No local em que os militantes estavam, desde o dia 7, vão ser mantidas quatro tendas institucionais para dar suporte aos atos públicos. De acordo com os organizadores, o local para o pernoite dos manifestantes é privado e fica a três quadras da região onde o acampamento estava.

Ainda não foi divulgado se o terreno vai ser cedido ou se vai ser necessário arcar com os custos de aluguel. O acampamento nas proximidades da Polícia Federal deve ser desmontado até às seis da tarde desta terça-feira (17).

O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta, afirma que as mudanças devem proporcionar mais conforto aos militantes.

Um termo assinado entre os manifestantes e o governo prevê que eventos culturais, como shows e apresentação de artistas, devem ser previamente ajustados com a administração pública. De acordo com o governo, a prioridade é manter o diálogo construído com as lideranças dos movimentos sociais.

Segundo o secretário de Segurança Pública do estado, Júlio Reis, os esforços são feitos para garantir o funcionamento da Polícia Federal.

O termo prevê ainda a suspensão da multa de quinhentos mil reais por dia, que tinha sido estipulada pela Terceira Vara da Fazenda Pública no fim de semana. A decisão avaliava que os militantes estavam infringindo o interdito proibitório, concedido quando o ex-presidente Lula chegou à polícia federal para começar a cumprir a pena de doze anos e um mês de prisão.

Coube ao ex-deputado Angelo Vanhoni, secretário-geral do PT no Paraná, comunicar as mudanças aos militantes.

Ainda na noite desta segunda-feira (16), a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, leu aos militantes acampados uma carta enviada por Lula. A senadora disse que ela foi repassada pelo advogado do ex-presidente.

Nesta terça-feira (17), após às dez da manhã, a programação no acampamento conta com a presença de deputados e do jurista Eugenio Aragão, ex-ministro da Justiça, além da visita de senadores, durante a tarde.

(Foto: Ana Flávia Silva/BandNews FM Curitiba)

(Foto: Ana Flávia Silva/BandNews FM Curitiba)

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*