Marcelo Odebrecht deverá depositar – a pedido da PGR – R$ 63 milhões como parte do acordo de delação premiada

 

O empreiteiro Marcelo Odebrecht deverá depositar mais R$ 63 milhões em uma conta judicial vinculada ao acordo de delação premiada. O montante foi solicitado pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que enviou o pedido ao Supremo Tribunal Federal.

Segundo Dodge, o acordo entre Odebrecht e a PGR prevê que o empresário pague cerca de R$ 65 milhões a título de pena pelos crimes cometidos, mas, até o momento, ele depositou um pouco mais de R$ 2 milhões, pagos em julho de 2017. O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, será o responsável pela análise da solicitação.

O teor do pedido da procuradora não foi divulgado já que o acordo de Odebrecht é sigiloso. O cálculo sobre o valor pendente se baseia nas informações declaradas pelo empresário, que afirmou que entre 2006 e 2015 foram depositados R$ 70 milhões e 500 mil em uma conta bancária na Suíça em nome de uma empresa vinculada a ele e à esposa.

A PGR informa que uma multa de cerca de R$ 73 milhões também estava prevista no acordo, mas já foi quitada. Marcelo Odebrecht cumpre a pena em regime domiciliar com tornozeleira eletrônica em uma mansão em São Paulo. Ele foi condenado a quase 20 anos de prisão, no entanto, por conta do acordo de delação, irá cumprir apenas 10 anos.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*