Médicos do Evangélico param de novo

Médicos do Hospital Evangélico estão parados para protestar contra atrasos nos pagamentos que já chegam a seis meses. A mobilização é por 48 horas. Foram canceladas 600 consultas e 100 cirurgias eletivas, que são as não-emergenciais, marcadas para hoje e amanhã. Apenas os casos de urgência e emergência serão atendidos normalmente. Hoje de manhã os manifestantes fizeram um protesto em frente ao Hospital Evangélico. Um dos integrantes do movimento, o cirurgião plástico Manoel Alberto Prestes, explica que muitos médicos dependem dos salários que recebem do hospital e não têm como se manter sem a remuneração.

O médico explica que a paralisação de 48 horas pode ser prorrogada caso a situação não se resolva.

O Hospital Evangélico informou, por meio de uma nota enviada pela assessoria de imprensa, que os médicos não são contratados da entidade e sim prestadores de serviço. O hospital alega que os recursos repassados pelo SUS são insuficientes para manter os serviços do Evangélico, que é filantrópico. O atendimento só deve ser normalizado na segunda-feira. Entre os setores que pararam está: ortopedia, queimados, neurocirurgia, urologia, cirurgia geral e otorrinolaringologia. Neste mês, os funcionários do hospital também fizeram uma greve pelo mesmo motivo: atraso nos pagamentos.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*