Médicos do Evangélico podem entrar em greve

Eles reivindicam o pagamento de salários atrasados há seis meses. Uma paralisação de 48 horas foi feita ontem, mas o pagamento não foi realizado pelas secretarias estadual e municipal de saúde. O hospital, que é um dos maiores do estado, mantém pacientes do SUS em 85% dos leitos, e realiza cerca de duas mil consultas diariamente. De acordo com a diretoria do hospital, pelo menos 5 milhões de reais em honorários médicos estão em atraso. O diretor clínico do hospital, José Luiz Takaki, diz que os médicos estão descontentes com a situação.

Ele garante que a categoria pode parar a partir da semana que vem.

Um repasse de verba foi feito pela Secretaria municipal de saúde, mas de acordo com os médicos está longe de ser o suficiente. A decisão pela greve ou não será discutida hoje à noite, em uma reunião entre os dirigentes do hospital.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*