Melhora situação de endividamento das famílias após liberação das contas inativas do FGTS

Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

O índice de inadimplência entre as famílias paranaenses caiu para o menor patamar desde setembro de 2015, de acordo com levantamento divulgado pela Fecomércio. Na comparação com março, a redução passou de 10% no número de famílias que não teriam condições de pagar as dívidas em abril. O recuo foi de 9,9% para 8,9%. Além da diminuição na inadimplência entre os paranaenses, melhorou a condição de pagamento das famílias. As contas em atraso sofreram redução de pouco mais de 8% em abril, na comparação com março. Isso significa que cerca de quinze mil e trezentas famílias em Curitiba e Região Metropolitana estão menos preocupadas com dívidas pendentes. O diretor de Planejamento e Gestão da Fecomércio, Rodrigo Rosalem, lembra que os números são positivos. No entanto, ainda podem refletir a estagnação da economia.

O levantamento é produzido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo e divulgado pela Fecomércio do Paraná. Entre os endividados no estado, mais de 25% estava com contas atrasadas em abril. Abaixo do índice de março, que passava de 27%, e de abril do ano passado, quando a proporção de dívidas em atraso chegou a 26,5%. A liberação das contas inativas do FGTS contribuiu com os resultados aferidos pelos economistas. Por isso, o diretor de Planejamento e Gestão da Fecomércio cobra outras medidas de curto prazo para o reaquecimento da economia.

Os paranaenses ainda são campeões em endividamento. No mês passado, 86% das famílias tinham algum tipo de dívida. O índice está acima da média nacional, de cerca de 58%, e abaixo dos números catarinenses, estado em que 86,2% das famílias chegam ao final do mês com algum débito pendente.

Imagem Fecomércio - dívidas paranaenses

Imagem Fecomércio – dívidas paranaenses

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*