Menino com atrofia muscular espinhal passa por um tratamento especial em Roma e reage bem aos medicamentos

Foto: Divulgação / Facebook Juntos pelo Arthur

Foto: Divulgação / Facebook Juntos pelo Arthur

O menino Arthur Tetto Lader, que passa por um tratamento experimental em Roma, na Itália, reagiu bem à primeira aplicação da medicação especial que pode amenizar os efeitos da AME, Atrofia Muscular Espinhal. Ele tem o tipo I da doença, que é degenerativa, e se recupera em casa, junto dos pais. O procedimento foi realizado na UTI de um hospital italiano e levou cerca de 10 minutos. A mãe, Rafaela Tetto Lader, é quem conta como foram os primeiros momentos do filho após o contato com o fármaco.

Arthur dormiu logo depois da aplicação e a mãe revela de que forma o tratamento do filho, que tem apenas um ano e 11 meses, deve evoluir a partir de agora.

O medicamento ajuda a estabilizar a AME, evitando assim que a doença, que é genética e não tem cura, evolua e o quadro se agrave. Entre outras coisas, a enfermidade provoca tetraplegia, problemas respiratórios e perda da deglutição, e a evolução depois das aplicações varia de paciente para paciente.

Arthur foi diagnosticado aos três meses de vida e a esperança é a de que ele possa voltar a respirar sem aparelhos, além de se alimentar pela boca, firmar a cabeça e o tronco e movimentar braços e pernas. O pequeno paranaense conseguiu ser incluído no tratamento porque a família tem cidadania italiana. Como o menino passou muito mal durante a viagem à Europa, eles não devem mais voltar ao Brasil.

O tratamento para a AME precisa ser mantido por toda a vida, e por isso a segunda etapa da campanha de arrecadação de fundos em prol do garotinho é lançada neste fim de semana. Na Itália, o fármaco especial é fornecido gratuitamente, mas os médicos e o internamento são pagos. Qualquer um pode contribuir para a continuidade do tratamento de Arthur, via depósito bancário. Os dados das contas dos pais dele podem ser consultados na página “Juntos pelo Arthur”, no Facebook.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*