Moro aceita denúncia contra ex-gerentes da Petrobras

(Foto: Divulgação / Agência Brasil)

O juiz federal Sérgio Moro acatou nesta terça-feira (13) à noite, a denúncia contra três empresários e três ex-gerentes da Petrobrás que agora se tornaram réus no processo. O grupo é investigado na 40ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada em maio deste ano.

Entre os crimes listados na denúncia do Ministério Público Federal estão corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. De acordo com a denúncia, o pagamento de propina para a área de Gás e Energia da Petrobras teria ocorrido entre os anos de 2003 e 2006, e chegou a um total de R$ 150 milhões.

Os ex-gerentes da estatal que passam a ser réus são Márcio de Almeida Ferreira, Edison Krummenauer e Maurício Guedes. Os empresários acusados são Luis Mattoni, da Andrade Gutierrez, Marivaldo Escalfoni, empresário da Akyzo e Paulo Roberto Fernandes, executivo da Liderroll. Essas empresas – Akyzo e Liderroll – firmavam contratos falsos com as fornecedoras tradicionais da Petrobras e, dessa forma, intermediavam o pagamento de propina a funcionários da estatal.

 Na denúncia, o MPF destaca que as empresas fornecedoras da Petrobrás pagavam sistematicamente propinas a dirigentes da estatal e também recebiam percentuais sobre os grandes contratos e aditivos. O esquema criminoso também corrompia agentes políticos, que sustentavam a permanência dos cargos na Petrobras. As provas foram obtidas nos depoimentos de delação de outros ex-dirigentes e com as quebras de sigilo bancário, fiscal e telemático dos envolvidos.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*