Motoboys e motoristas de aplicativos reforçam protesto de caminhoneiros

(Foto: divulgação/PRF)

O protesto contra o preço dos combustíveis teve, nesta quarta-feira, a adesão de motoboys e motoristas de aplicativos. O grupo chegou a bloquear a pista sentido Lapa da Rodovia do Xisto, provocando congestionamento e fechando, também, a saída de caminhões carregados da Repar, a refinaria da Petrobras em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba. A equipe da Polícia Rodoviária Federal acompanhou o movimento.

O representante comercial Wilson Follador conseguiu escapar do bloqueio ao perceber o congestionamento que se formava.

O caminhoneiro Claudinei Ferreira carregou o caminhão com combustível, na distribuidora em frente a Repar e, por pouco, não ficou preso no protesto.

Segundo um dos organizadores da adesão de motoristas de aplicativos ao protesto, Arnaldo Milko, cerca de 50 veículos se reuniram na Cidade Industrial de Curitiba, no Contorno Sul, e seguiram em carreata em direção à Repar. O protesto chegou a fechar as duas pistas do Contorno Sul. O reforço ao protesto dos caminhoneiros deve ser mantido enquanto durar a mobilização.

Os protestos são organizados por caminhoneiros autônomos. Segundo o especialista em transporte e infraestrutura, Ricardo Bertin, professor da PUC Paraná, eles estão entre os mais prejudicados pelo preço alto dos combustíveis. As transportadoras maiores repassam os aumentos da Petrobras para os consumidores.

No Paraná, até agora, são 48 pontos de protestos. Na região de Curitiba, segundo a Polícia Rodoviária Federal, os protestos se concentram na BR-277, no km 117, em Campo Largo; na BR-476, no km 96, em Bocaiuva do Sul; na BR116, no km 67, em Quatro Barras; na BR-277, no km 6, em Paranaguá; na BR-116, no km 152, em Mandirituba; e também na BR-116, mas em outro ponto no trecho ao Sul de Curitiba, no km 191, em Campo do Tenente.

Veículos de carga estão estacionados em pátios de postos de combustíveis ou no acostamento. Desses pontos, há interdição de meia pista apenas em Paranaguá. Nos outros pontos, os manifestantes estão fora da pista.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*