Motociclista que atropelou três pessoas no Batel se apresenta à polícia e admite culpa

(Foto: Ricardo Pereira/BandNews Curitiba)

O motociclista que atropelou duas mulheres e uma criança no bairro Batel, em Curitiba, no dia 7 de julho, falou pela primeira vez sobre o caso nesta sexta-feira (13). Leonardo de Magalhães Fonseca, 22 anos, se apresentou à Delegacia de Delitos de Trânsito na manhã de hoje após deixar o hospital Marcelino Champagnat, onde estava internado, e conversou rapidamente com a imprensa. Ele não conseguiu se comunicar de forma clara porque perdeu os dentes da arcada superior e foi operado recentemente. Ao menos foi essa a justificativa da advogada dele, Louise Mattar Assad.

O motociclista ficou internado sob escolta policial por seis dias. Hoje, durante o depoimento, ele permaneceu em silêncio devido aos ferimentos na boca, segundo a advogada.

O rapaz perdeu o controle da moto ao realizar manobras na Avenida do Batel. Das três vítimas, a menina, Laura de Souza, de oito anos, está na UTI do Hospital Pequeno Príncipe. Ontem (quinta, 12) ela saiu do coma induzido, mas ainda inspira muitos cuidados.

Entre as mulheres que ficaram feridas, a de 39 anos, Adriana Aparecida Melik, que é enfermeira e prima da criança, segue internada no Hospital do Trabalhador. Ela teve uma melhora no quadro de saúde, mas continua entubada e sem previsão de alta médica. A outra pessoa atingida pela moto tem 88 anos, mas teve apenas ferimentos leves e recebeu alta em seguida.

O delegado Anderson Franco, responsável pelo caso, disse que o rapaz só vai se manifestar em juízo. Ele conversou com Ricardo Pereira.

A carteira de habilitação do jovem estava suspensa desde 2016 justamente por atos de exibição em via pública. A princípio, a moto que ele pilotava pertence ao pai, mas está em nome de uma terceira pessoa, que também pode ser implicada judicialmente. Por enquanto, não há data para um novo depoimento de Fonseca à Polícia Civil, mas o delegado garante que os vídeos coletados vão ser submetidos à perícia.

O motociclista usava um capacete aberto e teve fraturas na face. O acidente foi registrado quando Adriana deixava o plantão do trabalho. Em nota divulgada nesta semana por meio da defesa do rapaz, a afirmação da família dele é a de tudo o que for possível será feito para minimizar as consequências em relação às vítimas.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*