Motoristas do Uber fazem protesto pela morte de colega de trabalho

Foto: Thaissa Martiniuk/Bandnews FM Curitiba

Os motoristas de Curitiba e região que trabalham com o aplicativo de transporte, Uber, fizeram uma carreata na tarde desta quarta-feira (25) em protesto pela morte de um colega ocorrida nesta semana durante um assalto em Araucária, na Região Metropolitana.

O corpo de Ricardo Gonçalves, de 27 anos, foi encontrado com as mãos amarradas na Represa do Passaúna ontem (24) de manhã. Ele estava desaparecido desde segunda-feira (23) e o carro, um Renault Logan, se envolveu em um acidente, deixando uma pessoa morta na noite dessa terça (24). Quatro suspeitos, dois homens e duas mulheres, fugiram a pé. A polícia fez buscas na região, mas ninguém foi encontrado.

Os motoristas do aplicativo Uber saíram no começo da tarde da Rodoferroviária, em Curitiba, seguiram até a Capela onde foi o velório de Ricardo Gonçalves, no bairro Pinheirinho, e seguiram até a sede da empresa Uber na avenida Marechal Floriano Peixoto. Pelo menos 40 motoristas participaram da manifestação. O objetivo do protesto, segundo a motorista Liziana Felizardo, era pedir mais segurança aos trabalhadores. Só neste ano, de janeiro a abril, foram cinco mortes envolvendo motoristas do aplicativo.

Liziana conta que já foi assaltada por ladrões armados e reclama que a empresa não disponibiliza aos motoristas os dados cadastrais dos passageiros.

Rafael de Freitas trabalha com o aplicativo há um ano e meio e diz que para evitar a ação de criminosos a única alternativa foi criar um grupo de whatsapp em que os motoristas divulgam informações sobre situações de risco, além de passar informações sobre passageiros suspeitos.

O motorista ainda reclama que a empresa não dá o suporte necessário aos trabalhadores.

Arnaldo Milki não é motorista do aplicativo de transporte, mas resolveu participar do protesto porque o irmão dele, Agnaldo Felipe Milki, de 34 anos, foi morto em janeiro deste ano em um assalto em Colombo, na Região Metropolitana. Ele diz que na maioria das ocorrências envolvendo profissionais da plataforma, a empresa alega que os motoristas não estavam em horário de trabalho.

Nesta quarta-feira (25), a Uber divulgou uma nota de pesar pela morte de Ricardo Gonçalves. “Pelas informações obtidas, o crime que vitimou o motorista ocorreu fora da plataforma e não tem qualquer relação com a Uber”, diz um trecho da nota. O aplicativo se colocou à disposição para colaborar com as investigações. A Uber ainda declarou que espera que os autores sejam identificados e colocados perante a Justiça o mais rápido possível.

Foto: Thaissa Martiniuk/Bandnews FM Curitiba

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*