Motoristas reclamam da ação de flanelinhas

O que antes parecia restrito ao trânsito de São Paulo, agora já acontece nas ruas de Curitiba. Ouvintes da BandNews FM relatam que alguns flanelinhas da cidade, aqueles que cobram para se estacionar em vagas públicas de rua, ameaçam motoristas que não querem pagar pelo espaço. As vezes são ameaças veladas, mas outras são explícitas para quem quiser ver. Como aconteceu com o ouvinte Márcio Henrique. Hoje, de manhã, ele viu uma mulher sendo ameaçada, próximo ao estádio Couto Pereira.

Outro ouvinte que passa diariamente por uma situação parecida é o psicólogo Emanuel Mello. Ele tem um consultório no centro da capital, e precisa se submeter ao absurdo de pagar duas vezes pelo talão do EstaR.

Ao longo da tarde, nossa reportagem recebeu várias denúncias de flanelinhas que ameaçam os motoristas, caso não paguem pela vaga. No entanto, a Polícia Militar afirma não ter nenhum registro de extorsão, segundo o capitão Anor Vicente dos Santos.

Ou seja, em outras palavras, estas situações de extorsão e ameaça por parte dos flanelinhas devem ser denunciadas pela população.

A Prefeitura de Curitiba foi procurada para saber se há algum tipo de fiscalização do trabalho dos flanelinhas. Através da assessoria de imprensa, a Secretaria de Trânsito, a Setran, informou que não tem como fiscalizar, já que a profissão do “guardador” não é regulamentada. Só quem pode realmente coibir estes atos de extorsão e ameaça é a Polícia Militar.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*