MPF anexa comprovantes de reuniões entre Lula e executivos da Petrobras ao processo do tríplex

Entre os documentos anexados pelo Ministério Público Federal ao processo do tríplex do Guarujá estão comprovantes eletrônicos de reuniões que ocorreram entre o ex-presidente Lula e ex-executivos da Petrobras, como Paulo Roberto Costa, Renato Duque e Sérgio Gabrielli.

O material comprovaria cerca de 30 encontros que ocorreram entre 2003 e 2010, período em que Lula estava à frente da Presidência da República. No total, o MPF incluiu 70 novos materiais a ação penal que tramita no âmbito da Lava Jato.

Os advogados do ex-executivo da OAS, Leo Pinheiro, anexaram ao processo cópias de uma agenda eletrônica de celular, de mensagens de texto e e-mails que revelariam que Pinheiro, o ex-presidente Lula, o Presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto e o ex-tesoureiro do PT, João Vacari Neto teriam se encontrado em vários momentos.

Nas novas provas incluídas no processo, constam ainda uma análise de custos para as reformas no sítio e no apartamento que datam de outubro de 2014 e que teriam sido feitas pela OAS. Não constam os valores exatos pagos em cada obra.

Os advogados de defesa de Lula também incluíram uma série de materiais que apontam que o tríplex jamais teria sido entregue ao ex-presidente.

Entre eles estão a matrícula do prédio Solaris, em que o apartamento aparece em nome da OAS. A defesa alega que o ex-presidente e a ex-primeira dama, Marisa Letícia, chegaram a visitar o imóvel, no entanto não ficaram com ele.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*