O custo com internações por causa de acidentes com moto triplicou no Paraná

Um levantamento realizado pelo Ministério da Saúde mostra que os gastos subiram de R$ 1,4 milhão para R$ 5 milhões, de 2008 a 2011. O aumento nas internações é acompanhado pelo número de mortes. Em 2008 foram 715 mortes de motoqueiros. Em 2010, 761 óbitos. Pela primeira vez a taxa de mortalidade de motociclistas supera a de pedestres e de outros veículos automotores. Allan Hilário, que é motociclista e motorista, relata que a convivência no trânsito curitibano entre carros e motos não é muito amigável.

No Brasil o gasto aumentou 113% no mesmo período. São gastos R$ 96 milhões para manter 77.113 pessoas hospitalizadas. O levantamento foi feito com base nas internações por acidentes de trânsito a partir do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e do Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH). Cerca de 40% das mortes registradas são de jovens entre 20 a 29 anos. Na maioria, 89% das mortes, os motociclistas são homens. O taxista Valmor Zambom relata que pequenas mudanças nos hábitos dos motoristas podem evitar acidentes

Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a frota de motocicletas cresceu 27% entre 2008 e 2010.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*