Paralisação dos caminhoneiros deve terminar hoje

Essa é a estimativa do sindicato da categoria. Também deve haver uma reunião entre os dirigentes do Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC), que comanda o protesto, para avaliar os resultados das manifestações. Segundo o presidente doSindicato dos Trabalhadores Autônomos de Cargas na, Nenê Meni, se houver paralisações hoje elas serão feitas sem o conhecimento do sindicato.

Ontem houve registros de caminhões depredados quando tentavam furar piquetes de caminhoneiros na PR-466, em Ivaiporã, na região central do Paraná. Além disso, quatro pessoas foram presas no protesto que foi realizado na BR 116, em Mandirituba. Segundo o Inspetor da PRF, Pedro Diniz, houve queima de pneus e a pista chegou a ser fechada totalmente. 

Os manifestantes pedem a redução nos preços do óleo diesel e também nos pedágios. Além disso, querem melhores condições de trabalho, como a diminuição de 35 para 25 anos de trabalho. A expectativa da categoria é que70 por cento dos caminhoneiros do Estado aderiram protestos de ontem.Para o presidente da Federação dos Transportadores de Cargas do Paraná, Sérgio Malucelli, a manifestação gerou atraso em entregas de todo o país. Mas segundo ele ainda é cedo para estimar a proporção dos prejuízos.

Nesse momento não há registro de protestos nas principais rodovias que cortam o Estado. A BR 376 para o litoral, a 277 litoral e interior, a 166 – sentido São Paulo e sentido Mandirituba, a Alexandra / Graciosa e o Contorno Norte Leste e Sul estão sem registro de protestos.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*