Paraná espera definição do Ministério da Saúde sobre procedimento de aborto de anencéfalos

O Paraná ainda não definiu quais hospitais vão ser aptos a realizar o aborto em casos comprovados de anencefalia do feto. O estado espera uma determinação do Ministério da Saúde e do Conselho Federal de Medicina que vão definir as medidas para viabilizar o procedimento. Ontem (quinta), o Supremo Tribunal Federal decidiu que as mulheres não precisam mais recorrer à Justiça para interromper a gravidez de anencéfalo. A legalidade do aborto nesses casos foi aprovada pelo STF por oito votos a um, após dois dias de muitas discussões. Os ministros que votaram a favor alegaram que a interrupção não caracteriza um ato contra a vida, já que o feto anencéfalo não tem chances de sobreviver após o parto. Já o ministro Ricardo Lewandowski, único a votar contra a medida, afirmou que não cabe ao Judiciário decidir sobre esse assunto. O tema chegou ao Supremo em 2004, após uma ação da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*