Paraná registrou 322 casos de feminicídio desde 2015, segundo Ministério Público do Estado

Foto: Reprodução

O Ministério Público do Paraná divulgou que foram registrados 322 casos feminicídio com inquéritos abertos no estado. Os números contabilizam todos os casos desde que a lei do feminicídio foi sancionada, no dia 10 de março 2015, até ontem (terça). Um dos crimes mais recentes foi o que vitimou a estudante de Direito, Mahara Dávila, de 23 anos, no dia 31 de maio. A estudante foi morta a facadas pelo ex-marido, Ênio Ivan Bertoncello, de 31 anos. O crime foi motivado por ciúmes e Mahara foi morta dentro da casa dela. O advogado criminalista Claudio Daledonne, que pesquisa casos de feminicídio, disse que é preciso acompanhar o comportamento do agressor no dia a dia.

De acordo com o último Mapa da Violência, divulgado no ano de 2015, 50% das mulheres vítimas de assassinato no Brasil foram mortas por alguém da família, e em 33% desses casos o assassino era parceiro ou ex da vítima. O advogado falou que é preciso denunciar o agressor desde que os primeiros sinais de comportamento violento sejam percebidos.

Outro dado do Mapa da Violência foi o de assassinatos cometidos dentro da casa da própria vítima, que são 27,5% dos casos registrados no Brasil, como aconteceu com Mahara. O irmão da vítima, Felipe Kinaippi, disse que o agressor maltratava Mahara dentro de casa, mas sempre longe da presença de outros homens da família dela.

A orientação é para que as vítimas sempre notifiquem judicialmente os casos de agressão. As denúncias podem ser feitas na Delegacia da Mulher e, para atendimento psicológico e outras orientações, a Casa da Mulher Brasileira.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*