Paraná terá primeiro secretário de educação escolhido em processo seletivo

Imagem ilustrativa

Em um ato inédito, dez municípios do Norte do Paraná decidiram se unir para contratar um secretário regional de educação por meio de um processo seletivo. O Consórcio de Desenvolvimento do Norte do Paraná, formado pelos dez municípios, começa nesta semana a selecionar o candidato para o cargo. O profissional, dentre os que já se inscreveram, pode ser de qualquer lugar do Brasil, desde que especialista em Educação e que não seja um “afilhado político” de nenhum prefeito. A iniciativa é inédita no Brasil.

O novo secretário regional, selecionado por critérios técnicos, deve assumir o cargo em janeiro de 2018. Apesar de a iniciativa ser uma tentativa de qualificar os gestores, a partir das opções da seleção, são os prefeitos das cidades é que agora vão escolher o novo secretário. O ocupante do cargo deve trabalhar em conjunto com os secretários municipais, mas terá de responder aos prefeitos das dez cidades.

Fazem parte do consórcio as pequenas cidades de Cafeara, Centenário do Sul, Florestópolis, Guaraci, Jaguapitã, Lupionópolis, Miraselva, Primeiro de Maio, Porecatu e Prado Ferreira. Juntas elas somam 80 mil habitantes.

A pré-seleção foi feita pela Vetor Brasil, uma organização sem fins lucrativos especializada na avaliação e formação de gestores públicos, e a fase final é de responsabilidade do consórcio, que tem como base a lista de finalistas organizada pelo processo seletivo da Vetor Brasil. Para participar, os interessados se inscreveram no site da Aliança Regional Pela Educação. As inscrições acabaram no dia 12 de novembro. Não houve taxa de inscrição e candidatos de todo o Brasil podem participar, mas o escolhido deverá possuir residência fixa na região. Segundo a diretora-executiva do Vetor Brasil, Joice Toyota, os municípios vão continuar com secretários, mas terão um técnico para unir as demandas regionais.

De acordo com a responsável pela seleção, a legislação prevê a possibilidade de compartilhamento de gestão pública. Mesmo assim, os municípios ainda terão autonomia.

O projeto piloto no Paraná pode servir de modelo para outras regionais do país. A intenção é dar mais poder de gestão para municípios menores.

Os interessados precisam possuir experiência em cargos de liderança no setor público ou privado e perfil empreendedor. As etapas da seleção incluíram análise curricular, referências profissionais, entrevistas por competência, estudo de caso, sabatina com os finalistas com participação popular e entrevista com uma banca avaliadora. O salário oferecido pelas 10 prefeituras é no valor de 10 mil reais. Todas as informações do processo podem ser encontradas no próprio site para inscrição, o aliançapelaeducação.org.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*