PDT vai entrar com Ação Direta de Inconstitucionalidade contra o Gaeco

O Partido Democrático Trabalhista (PDT) vai entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade contra o Gaeco (Grupo Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado). De acordo com o secretário nacional do PDT, Manoel Dias, o Gaeco é inconstitucional por ter sido criado por meio de decreto e não através da aprovação de um projeto de lei pela Assembleia Legislativa do Paraná.

Além disso, o pedetista acusou o grupo de “misturar” interesses do Executivo com o Judiciário. No entendimento dele, o órgão estaria agindo em Londrina a mando de grupos tucanos que fazem oposição à administração do prefeito Barbosa Neto.

O delegado do Gaeco de Londrina, Alan Flore, que comandou as investigações que culminaram com a prisão de coordenador da campanha do PDT e de outras pessoas da administração municipal por suposta compra de votos de parlamentares para evitar a Comissão Processante na Câmara, disse que o órgão é legítimo e constitucional.

A direção nacional do PDT deixou a cidade de Londrina nesta terça-feira. Ontem à noite, foi realizado um ato público em Londrina em apoio à gestão do prefeito Barbosa Neto (PDT). De acordo com os pedetistas, Barbosa tem sido vítima de campanha promovida por setores políticos interessados em afastá-lo da disputa eleitoral de outubro próximo. Além de Manoel Dias, estiveram presentes o ex-ministro do trabalho Carlos Lupi, presidente nacional do PDT; o deputado federal Paulinho da Força Sindical; e Miguelina Vecchio, presidente da Ação da Mulher Trabalhista.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*