PF aciona autoridades paraguaias e Interpol para identificar menino encontrado em Cascavel

A Polícia Federal acionou as autoridades paraguaias e a Interpol para tentar identificar a família do menino de um ano, que teria sido encontrado andando sozinho por uma rua de Cascavel, no oeste do Paraná. Depois de prestar depoimento, na última terça-feira (23), Maria Conceição Queiroz, conhecida como Maria Paraguaia, negou que tenha qualquer relação com o tráfico de crianças.

Em coletiva de imprensa, a delegada Raissa Vargas, do Núcleo de Proteção de Crianças e Adolescentes Vítimas de Crimes (Nucria), disse que um casal chegou a pagar 700 reais pela adoção do menino, mas desistiu do procedimento depois de não conseguir a documentação necessária.

Na última terça-feira, assim que chegaram à casa de Maria Conceição, os policiais encontraram, ainda, duas meninas, uma de 9 anos e uma jovem que não teve a idade revelada. Maria Conceição foi transferida nesta quarta-feira para a Cadeia Pública de Corbélia e permanece detida por tempo indeterminado. Antes de ser presa, ela negou que as garotas encontradas na casa dela fossem traficadas.

A entrevista foi obtida pela equipe da TV Tarobá, afiliada da Band. De acordo com a delegada do Nucria, uma das meninas pode ter algum parentesco com o menino abandonado em Cascavel. A garota se negou a fazer exame de DNA.

O cônsul paraguaio, Jorge Antônio Coscia, está em Cascavel para acompanhar as investigações. De acordo com ele, este é o terceiro caso de crianças paraguaias encontradas no Brasil, somente este ano. O delegado da polícia civil, Adriano Chohfi, diz que a intenção é utilizar o banco de dados do país vizinho para identificar os menores.

O advogado de defesa, Felipe Veloso, informou que não vai se manifestar sobre o mérito do processo antes do fim do inquérito policial. No entanto, ele afirma que Maria Conceição é inocente.

Oito pessoas já foram ouvidas pela polícia, entre elas, o casal que pretendia adotar o menino. Maria Conceição deve responder por tráfico internacional de crianças.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*