PF deflagra “Operação Duas-Caras” que investiga desvio de poupanças da Caixa Econômica Federal

Doze pessoas foram presas e uma segue foragida na Operação “Duas-Caras” deflagrada na manhã de hoje (sexta-feira, 15) pela Polícia Federal. A ação investiga um esquema criminoso montado para desviar recursos das poupanças de clientes da Caixa Econômica Federal.

No total, setenta moradores do Paraná foram vítimas do esquema, dentre eles: aposentados, empresários, e um jogador de futebol do Atlético Paranaense. A polícia cumpriu cinquenta e seis mandados judiciais nos estados do Paraná, Santa Catarina e Paraíba.

No estado paranaense, foram cumpridos mandados em sete municípios: Curitiba, Colombo, Fazenda Rio Grande Almirante Tamandaré, São José dos Pinhais, Matinhos e Guaratuba. A polícia cumpriu vinte mandados de busca e apreensão; cinco de prisão preventiva; seis de prisão temporária. Também foram cumpridos onze mandados judiciais de condução coercitiva; quatro de sequestro de bens e um de suspensão de exercício da função pública por equiparação.

As investigações começaram  quando os criminosos  faziam saques em caixas eletrônicos usando cartões de clientes – que ligavam para a agência bancária afirmando que não tinham feito nenhuma transação bancária. Através de uma interceptação telefônica, a Polícia Federal descobriu o grupo que desviava recursos.

De acordo com a Polícia Federal, o esquema tinha seis fases: a identificação das vitimas (CPF, nomes e contas com valor grande sem histórico de movimentações), logo os dados eram fornecidos a pessoas que tinham acesso ao banco de dados. A terceira fase era a emissão de documentos falsos. Na quarta fase, a quadrilha entrava em contato com o Banco e pedia o cancelamento do cartão, alegando perda.

A Caixa fazia um reenvio do cartão na própria agência, no entanto, o bancário responsável pela operação verificava o código de rastreio e executores buscavam o documento no Centro  de Distribuição dos Correios. A última fase do esquema eram as realizações de saques, compras no débito e transferências. O líder do esquema criminoso trabalhava em uma agência em São José dos Pinhais e no começo deste mês foi transferido para João Pessoa, Paraíba, onde foi preso na manhã desta sexta-feira (15). O esquema durou cerca de um ano.

O funcionário idealizador da Duas-Caras trabalhava na Caixa Econômica Federal a pelo menos sete anos. Além disso, uma bancária de uma agência do banco Santander foi presa. Ela também participava do esquema. De acordo com a PF, grande parte do dinheiro ficava com o Líder da ação, já os executores recebiam 5% do valor

. Os suspeitos vão responder pelos crimes de furto qualificado, estelionato, peculato, uso de documentos falsos, associação criminosa e falsificação de documento público.

Em Palhoça, Santa Catarina, a Polícia Federal cumpriu um mandado de busca e apreensão. Já em João Pessoa, na Paraíba, foram cumpridos quatro mandados judiciais. Os criminosos que foram presos fora de Curitiba vão ser encaminhados para a Superintendência da Polícia Federal da capital paranaense.

Em nota, a Caixa Econômica Federal informa que está colaborando com as investigações da Polícia Federal e que afirma que irá cooperar integralmente com os trabalhos.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*