Polícia ainda não tem pistas do professor de Biologia que sumiu na terça-feira (06) em Curitiba

Foto: Divulgação

A polícia ainda não tem pistas do professor de Biologia e Ciências Flávio Ávilla, de 53 anos, que sumiu na terça-feira, 6 de junho, depois de sair de casa com destino à Secretaria de Estado da Educação, no bairro Água Verde, em Curitiba. Ele teria sido visto pela última vez em uma rua do bairro Jardim das Américas, também na capital. O homem deixou a residência de carro, uma Captur prata ano 2017, comprada em abril deste ano. Ele vestia calça jeans e uma blusa azul e tem quatro tatuagens no corpo: os nomes das netas Julia e Laura no pulso, um tribal no bíceps e uma cruz no pescoço.

O caso é investigado pela Delegacia de Proteção à Pessoa, que integra a Divisão de Homicídios e Proteção e Proteção à Pessoa. Por meio de nota enviada pela assessoria de imprensa da Polícia Civil, a informação é a de que nenhuma hipótese está descartada. Inclusive a de que não se trate de um sequestro.

Várias diligências já foram realizadas, familiares do docente foram ouvidos e buscas foram feitas em todos os hospitais da região da capital e no Instituto Médico-Legal de Curitiba. O documento esclarece também que as rotas percorridas pelo veículo no dia do desaparecimento foram levantadas junto à Secretaria Municipal de Trânsito. A placa do automóvel dele é: BBG-5816.

A BandNews procurou a Secretaria de Estado Educação. Também via assessoria, o órgão informou que não há qualquer registro de entrada do homem no prédio no dia 6 de junho, e todos os acessos são registrados. Isso demonstra que ele não chegou ao destino.

A substituição dele já está sendo providenciada para não prejudicar os alunos nos colégios estaduais onde ele dá aulas: as escolas Professora Maria Aguiar Teixeira, Santa Rosa, Conselheiro Carrão e Natália Reginato. A reportagem também entrou em contato com uma das filhas e com a esposa do desaparecido, mas elas alegaram que não podem conceder entrevista por orientação da polícia. Não há confirmação disso pela Corporação.

O veículo usado pelo professor foi visto duas no dia 6 de junho. Na primeira, trafegando pela avenida das Torres às 10h15, no sentido São José dos Pinhais, e na segunda, às 10h30, na direção oposta. Qualquer informação a respeito dele ou do automóvel pode ser repassada à DHPP pelo telefone 3360-1400.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*