Polícia divulga balanço um mês depois da implantação da UPS do Uberaba

Um homicídio e um porte ilegal de arma de fogo foram registrados no bairro Uberaba no primeiro mês da implantação da Unidade Paraná Seguro na região. Os dados foram divulgados hoje pela Polícia Militar e pela secretaria de Segurança Pública. Os órgãos não quiseram comparar os números com outros porque segundo a polícia o projeto é piloto e apresenta um novo conceito de policiamento comunitário. Durante a ocupação do bairro, no começo de março, houve a denúncia de agressão contra um morador da região do Uberaba. Dois policiais militares acusados da agressão foram afastados. O secretário de segurança Pública Reinaldo de Almeida Cesar disse que o caso ainda está sendo investigado.

A PM também divulgou que nesse primeiro mês houve aumento de 30% das chamadas da população do bairro ao 190 e a contatos com as viaturas da polícia.  No total foram 523 ocorrências, uma média de 4,5 chamadas por dia. A maioria desses chamados é por perturbação de tranquilidade. O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Roberson Bondaruk, disse que nesse momento são estudados os locais onde devem ser criadas as próximas UPS.  Mas os locais não vão ser divulgados com antecedência.

No ano passado, 53 pessoas foram mortas no Uberaba. A instalação da primeira UPS foi no dia oito de março. 450 policiais participaram da ação de ocupação do bairro. O objetivo é implantar algo semelhante às unidades de polícia pacificadora do Rio de Janeiro. Até o final deste ano serão instaladas dez UPS em Curitiba.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*