Polícia Federal aguarda extradição de um dos maiores operadores financeiros investigados na Lava Jato

A Polícia Federal aguarda uma provável extradição de um dos maiores operadores financeiros investigados na Lava Jato, Raul Schmidt, preso no último sábado em Portugal. Não existe prazo para que isto ocorra. Schmidt foi alvo da 25ª fase da operação, em março de 2016.

Naquela ocasião, ele também foi preso no país lusitano. Em razão de possuir cidadania portuguesa, o operador financeiro foi colocado em liberdade. No entanto, na última semana, uma nova prisão foi decretada por autoridades portuguesas e o investigado foi encontrado em razão de um trabalho de inteligência que uniu Polícia Federal do Brasil, Ministério Público Federal, Interpol e autoridades portuguesas.

Schmidt chegou a morar em Londres, onde mantinha uma galeria de arte. Depois do início das investigações da Lava Jato ele se mudou para Portugal. Raul Schmidt é apontado como intermediador do pagamento de propinas aos ex-diretores da Petrobras Renato Duque, Nestor Cerveró e Jorge Zelada.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*