Polícia prende em Balneário Camboriú empresário acusado de matar moradora de rua em Curitiba

Foto: Polícia Civil do Paraná

Foto: Polícia Civil do Paraná

O empresário suspeito de assassinar uma moradora de rua e ferir outro em março do ano passado na Praça Osório, centro de Curitiba, foi preso na noite desta quinta-feira (04). Ele estava há mais de um ano foragido da Justiça e foi detido em Balneário Camboriú, Santa Catarina. O empresário é acusado de atirar em uma mulher de 46 anos que morreu na hora. Um outro rapaz que estava com ela ficou ferido nos braços. As câmeras de segurança da praça registraram o homicídio.

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa de Curitiba chegou ao suspeito por uma denúncia anônima. Ele já tinha sido identificado pela polícia por conta das imagens que registraram o crime. É possível ver o momento em que o empresário chega, acompanhado de outro homem, e discute com os dois moradores de rua, que estavam deitados. Logo depois, o empresário retorna, desta vez sozinho e armado. Ele chega próximo aos moradores e faz os disparos. A delegada Sabrina Alexandrino, responsável pela investigação, afirma que o material comprova a autoria do assassinato. Segundo ela, o empresário não reagiu a prisão, quando foi abordado em uma banca de jornal em Balneário Camboriú.

O empresário morava em um prédio na Praça Osório e é pai de um comerciante da região. A arma utilizada no crime ainda não foi encontrada. No fim do ano passado, a polícia chegou a encontrar duas armas em uma chácara que pertence a ele, na cidade de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba. Mais recentemente, o suspeito teria adquirido um apartamento de luxo no litoral catarinense, avaliado em mais de R$ 2 milhões. Como o imóvel ainda não havia sido entregue pela construtora, ele pernoitava em hotéis da cidade. A vizinhança teria relatado aos guardas municipais de Balneário algumas conversas com o empresário que demonstravam intolerância aos moradores de rua.

O suspeito já está em Curitiba e será encaminhado ao sistema prisional. Ele foi indiciado pelos crimes de homicídio qualificado e tentativa de homicídio qualificado além de já ter sido denunciado pelo Ministério Público do Paraná. Se for condenado poderá pegar até 30 anos de prisão.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*