Prédio do Belvedere, atingido por um incêndio, vai passar por perícia técnica

(Foto: colaboração / WhatsApp)

Uma perícia técnica vai avaliar os danos e os custos necessários para a recuperação e restauro do prédio do Belvedere, que foi atingido por um incêndio na noite de quarta-feira.  O prédio histórico, que fica na Praça João Cândido, próximo as Ruínas São Francisco, foi isolado pela prefeitura. A principal suspeita é de que o incêndio foi causado por um ato criminoso. Testemunhas afirmam que um homem foi visto saindo do prédio logo que o fogo começou. Portanto, o incêndio pode ter sido criminoso. Alyson Charles, mora ao lado do prédio histórico, e viu como tudo começou.

O prédio é tombado pelo Patrimônio Histórico do Paraná e estava fechado havia vários anos com várias pichações nas paredes. Outro vizinho do local, Francisco, reclama do abandono do espaço.

O prédio do Belvedere foi construído em 1915 para ser um mirante no então ponto mais alto urbanizado da Capital. A edificação teve outros usos. Nos anos 20 foi sede da primeira rádio do Paraná, a Rádio Clube Paranaense. Na década de 30 passou a ser Observatório Astronômico da antiga Faculdade de Engenharia do Paraná. Em 1962 foi sede da União Cívica Feminina Paranaense. Anos mais tarde, em 2008, o prédio foi usado como posto da Polícia Militar e, entre 2012 e 2014, transformado no primeiro Centro Estadual de Defesa dos Direitos da População em Situação de Rua. O edifício seria restaurado para se tornar a Sede da Academia Paranaense de Letras. Por meio do Facebook, o prefeito Rafael Greca garantiu que já existem recursos para o restauro, e que a reforma só depende do término da vistoria dos bombeiros e da liberação da Divisão do Patrimônio Histórico do Paraná.

(Foto: Reprodução/WhatsApp)

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*