Prefeito caçado em Guaraqueçaba emplaca a candidatura do filho

Foto: Divulgação

O candidato cassado depois de vencer as eleições de outubro, em Guaraqueçaba, no Litoral do Paraná, conseguiu emplacar o filho, de 27 anos, na eleição suplementar realizada no último domingo. O eleito foi Ariad Júnior, do PMDB, filho Ariad, do mesmo partido, que teve a candidatura cassada em 2016 por compra de votos e abuso de poder econômico. Em Moreira Sales, o candidato cassado, Hugo Berti, do PSD, não teve a mesma sorte. Ele tentou emplacar a esposa, Magali Berti, do PDT, mas ela perdeu para Rafael Bolacha, do PMDB. O pai de Rafael Bolacha, conhecido como Zé Bolacha, não é político, mas já foi preso, em 2009, por envolvimento em um caso de roubo de carga.

Os eleitores das cidades de Guaraqueçaba, no Litoral, e Moreira Sales, no Noroeste do Paraná, voltaram às urnas no domingo (4) para eleger os novos prefeitos. Em ambos os casos, os cassados colocaram familiares nas eleições suplementares na disputa pelas vagas perdidas nas prefeituras após decisões da Justiça Eleitoral. Em Guaraqueçaba, como alternativa para não perder o mandato conquistado, Ariad indicou o próprio filho para concorrer na eleição suplementar contra a ex-prefeita da cidade Lilian Ramos Narloch, do PSDB. Lilian Ramos tentava a reeleição, mas ficou em segundo lugar, tanto em outubro de 2016, quanto na eleição fora de época do último domingo.

Ariad venceu com 3.207 votos, o equivalente a 56% dos votos válidos. Lilian Ramos teve 2.712 votos, 43%. A campanha de “Júnior” tinha o slogan “De Pai Para Filho”. O nome da coligação é “Um filho Teu Não Foge a Luta“. O pai havia vencido as eleições no dia 2 de outubro, com 3.280 votos, atingindo 52% dos votos válidos. Ou seja, o filho fez agora 73 votos a menos que o pai na eleição de outubro. O então prefeito entrou com recurso contra a impugnação da candidatura, que foi recusado pela Justiça Eleitoral.

Em Moreira Sales, no Noroeste do Paraná, a estratégia nepotista do eleito cassado, de emplacar um familiar, não deu certo. Hugo Berti, do PSD, tentou eleger a esposa, Magali Berti, do PDT, mas ela perdeu nas urnas para Rafael Bolacha, do PMDB, que havia sido derrotado na eleição de outubro. Bolacha recebeu 4.409 votos, o que representa 56,43% dos votos validos. A candidata Magali Berti recebeu 3.404 votos, o equivalente a 43,57% dos votos válidos. O marido de Magali, Hugo Berti, havia sido eleito em outubro com 4.042 votos. Na prática, o casal perdeu 638 votos de lá pra cá. Hugo teve a candidatura impugnada com base na Lei da Ficha Limpa, após ser condenado na Justiça por enriquecimento ilício e improbidade administrativa.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*