Prefeitura de Curitiba realiza força-tarefa para prevenir invasões em áreas de preservação

As ocupações irregulares especialmente em Áreas de Preservação Ambiental Permanente (APPs) em Curitiba viraram alvo de uma força-tarefa da prefeitura. Desde o fim do mês passado, um grupo de trabalho formado por representantes de nove secretarias e órgãos municipais tem atuado na prevenção e erradicação de invasões principalmente em áreas de propriedade do município. O objetivo é impedir construções irregulares nas margens de rios, córregos e bosques, por exemplo. Quem explica é o superintendente de Controle Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente da capital, Raphael Rolim de Moura.

Segundo ele, além dos riscos a que os moradores ficam sujeitos e dos prejuízos ambientais, as invasões nessas áreas também obrigam o poder público a intervir com programas habitacionais.

O trabalho é realizado da seguinte forma: a Guarda Municipal monitora os locais potencialmente ocupáveis e verifica a existência ou não de obras. Em caso positivo, a prefeitura organiza o grupo, coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente, para que aborde os invasores e peça que deixem o terreno. Ele conversou com Daiane Andrade.

A decisão sobre a formação do grupo foi tomada após as enchentes registradas em junho. A ideia é minimizar a chance de problemas semelhantes no futuro. Entre os danos que as invasões em áreas de preservação podem acarretar estão a poluição da água dos rios, a remoção da mata ciliar e o comprometimento do solo. A prefeitura recebe pelo menos uma denúncia de ocupação irregular a cada 24 horas. Quem quiser ajudar pode entrar em contato pela Central 156 ou pelo número 153, da Guarda Municipal.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*