Primeiro debate ao Governo do Paraná tem mais farpas do que propostas

debate4

O primeiro debate entre os candidatos ao Governo do Paraná foi marcado por muitas provocações e poucas propostas efetivas na corrida ao Palácio Iguaçu. O encontro, realizado na noite desta quinta-feira, pela TV Band, foi bastante quente e tenso dentro e fora dos estúdios. O primeiro bloco terminou com cinco pedidos de respostas, sendo dois de Beto Richa, do PSDB, dois de Roberto Requião, do PMDB, e um de Gleisi Hoffmann, do PT.

Dos cinco pedidos, um de Beto Richa foi aceito, e todos os outros negados. Gleisi declinou do dela. Durante esta resposta, Requião pediu mais um, sobre as afirmações do atual governador sobre os gastos dele na Granja do Canguiri. A voz dissonante do começo do debate foi o candidato Ogier Buchi, do PRP, que reclamou de tantas acusações entre os candidatos.

Já o segundo bloco também teve mais trocas de farpas entre os principais concorrentes. Foram mais três pedidos de respostas pelos grandes candidatos, e muitas reclamações de ouvintes pelas redes sociais, por causa da falta de propostas e acusações mútuas. No início das perguntas, Gleisi Hoffmann atacou Túlio Bandeira, do PTC, após ser questionada sobre as famílias que governam o Paraná por muitos anos.

Já Túlio Bandeira aproveitou uma pergunta feita pelo Beto Richa, sobre as propostas na educação, para rebater as criticas da candidata.

A aposentadoria recebida pelo Roberto Requião também foi questionada por Gleisi. O ex-governador se defendeu e diz que se negou a receber o benefício por 16 anos.

No terceiro bloco, os candidatos aproveitaram as perguntas para enaltecer os próprios projetos, e desmerecer as propostas dos adversários. Richa ressaltou o desenvolvimento do estado com o programa de incentivos fiscais.

Já quando o assunto foi saúde, Roberto Requião e Bernardo Pilotto (PSol) travaram um embate, sobre o que foi feito com os hospitais regionais do Paraná.

O terceiro bloco do debate teve algumas propostas a mais e menos ataques. Uma delas foi de Gleisi Hoffmann sobre a segurança, citando o legado da Copa com os centros de controle operacional.

Mas, ela também foi alvo de um embate com Túlio Bandeira, sobre uma polêmica envolvendo a assinatura [ou não] de um documento na Federação das Indústrias de que diminuiria o salário mínimo regional.

Somente no último bloco, dedicado às considerações finais, os candidatos falaram das principais propostas. O candidato do Psol, Bernardo Pilotto, aproveitou e fez um resumo do debate.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*