Princesa do Japão pode visitar o Paraná em julho

O Brasil recebe, no próximo mês, a visita da princesa Mako, do Japão. A informação foi confirmada pela Agência da Casa Imperial e a expectativa é de que ela também venha ao Paraná.

Neta mais velha do imperador Akihito, a jovem de 26 anos vem ao país por causa do 110º aniversário da imigração japonesa. Ela chega em 17 de julho e, já no dia 18, começa a percorrer diferentes regiões brasileiras até o fim do mês, quando embarca de volta para o continente asiático.

Esta será a primeira viagem oficial de Mako desde fevereiro, quando a imprensa estatal anunciou a transferência de data do casamento dela com o advogado e colega de universidade Kei Momuro. Prevista inicialmente para 2018, a cerimônia agora não deve ser realizada antes de 2020. O adiamento teria sido decidido por falta de preparação.

A união, formalmente comunicada em setembro de 2017, ficou no centro de uma polêmica envolvendo uma lei japonesa. Isso porque o rapaz, que tem a mesma idade da princesa, é plebeu, e a norma determina que, na hipótese de uma mulher da família real se casar com alguém que não seja da nobreza, ela acaba excluída da dinastia. O problema é que o mesmo não vale para os homens da família imperial.

Como não houve casamento ainda, nada muda por enquanto e a visita de Mako marca também a primeira passagem oficial dela pelo Brasil. Ao todo, 14 cidades – todas elas com grande concentração de imigrantes japoneses – aparecem na programação para o período em que a moça estiver por aqui.

O roteiro começa em 18 de julho, pelo Rio de Janeiro, onde a princesa deve ser recebida pelo presidente Michel Temer, e a partir de então ela participa de uma série de eventos. No dia 20, ela visita Maringá, no noroeste paranaense, e Londrina, no norte, e já no dia seguinte estará em São Paulo, capital. Antes de ir embora a representante do império japonês ainda passa pelos municípios paulistas de Cafelândia, Campinas e Marília, além de Manaus, no Amazonas, Belém e Tomé-Açu, no Pará.

Com quase dois milhões de descendentes nipônicos, o Brasil é o país do mundo que abriga a maior comunidade japonesa fora do Japão. Os amplos fluxos migratórios por mais de um século, juntamente com fortes laços econômicos, fortaleceram o vínculo entre as duas nações.

A última visita feita por um membro da família real japonesa ao Brasil foi a do príncipe herdeiro Naruhito, em março. Ele participou do Fórum Mundial da Água, em Brasília.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*