Prisões temporárias da Operação Asfixia vencem hoje (08)

Vencem nesta segunda-feira, 08, as prisões temporárias dos dois ex-gerentes da Petrobras presos na Operação Asfixia, 40ª fase da Lava Jato. Marcio de Almeida Ferreira e Maurício de Oliveira Guedes foram detidos no Rio de Janeiro, na última quinta-feira (04), estão na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

A PF pode ainda pedir a renovação das temporárias por mais cinco dias, ou então pedir a conversão da prisão para preventiva – quando não há prazo para o suspeito deixar a carceragem. Caso a polícia não se manifeste, os dois alvos da Operação Asfixia são liberados.

Os ex-gerentes da subdivisão de Gás e Energia da estatal podem responder a crimes de corrupção, fraude em licitações, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Também estão presos dois empresários. Marivaldo do Rosário Escalfoni e Paulo Roberto Gomes Fernandes, presos preventivamente, são ligados a empresas usadas para criar contratos de prestação de serviços falsos, com o objetivo disfarçar pagamentos de propinas.

Os quatros presos da 40ª fase da Operação Lava Jato seriam responsáveis por fraudar dezenas de licitações da Petrobras no período entre 2003 e 2016.

O levantamento preliminar da força-tarefa Lava Jato coloca sob suspeita 18 contratos da Petrobras – assinados com as empresas Akyzo e Liderroll. Ao todo, os contratos valiam cinco bilhões de reais (R$ 5 bilhões). Neste contexto, de acordo com a Polícia Federal, pelo menos cem milhões (R$ 100 milhões) em propinas foram distribuídas.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*