Procuradoria Geral da República pede a prisão de Rodrigo Rocha Loures

O ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, do PMDB do Paraná, é alvo de novo pedido de prisão pela Procuradoria Geral da República. O primeiro pedido foi feito no último dia 22 e foi negado pelo ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, sob a alegação de que Loures exercia o mandato e a legislação brasileira só permite que um parlamentar seja preso em flagrante. Com o retorno de Osmar Serraglio a Câmara Federal, Loures volta a suplência e, por isso, perde o foro privilegiado.

Loures é alvo do mesmo inquérito em que é citado o Presidente Michel Temer. Ambos são suspeitos de corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça. O ex-deputado foi filmado pela Polícia Federal recebendo uma mala com R$ 500 mil em propina que teria sido entregue por um dos executivos da JBS. Segundo as investigações, Loures seria o homem de confiança de Temer e seria responsável por intermediar o recebimento de propinas de empresas.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*