Professores da UFPR decidem manter greve

Professores da Universidade Federal do Paraná recusaram a proposta de aumento salarial do governo e decidiram hoje (quinta) à tarde manter a greve que já dura dois meses. 145 professores decidiram, por unanimidade, rejeitar o reajuste. O governo ofereceu um aumento de 45% para os professores com doutorado e que tem dedicação exclusiva. Para os professores com mestrado, o aumento é de até 27 por cento. O reajuste é gradativo. A proposta prevê investimentos de quatro bilhões de reais até 2015. O diretor geral da Associação dos Professores da UFPR, Rogério Miranda Gomes, reclama que a proposta não atende aos pedidos da categoria.

O reitor da Universidade Federal do Paraná, Zaki Akel Sobrinho, avalia que a situação ainda está indefinida.

Uma nova rodada de negociações entre o governo federal e os professores está marcada para a segunda-feira, em Brasília. A greve afeta a todos os estudantes da UFPR de Curitiba, litoral e Palotina.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*