Professores do Telegramática em Curitiba ajudam quase 50 pessoas por dia com dúvidas da língua portuguesa

O serviço de telegramática de Curitiba recebeu, até o fim de julho, mais de 10 mil ligações. A média é de 47 dúvidas atendidas todos os dias. Nesse período, mais de 30 mil consultas sobre as mais variadas questões da língua portuguesa foram levadas aos professores. As dúvidas mais comuns dos curitibanos são as de ortografia, sintaxe e a pontuação. Do outro lado da linha, quem atende tem uma vida inteira dedicada a ensinar. Dos 58 anos de idade, a professora Valentina Nedbajluk já convive com o magistério há 40 anos. Ela lembra a ansiedade que sentiu quando o quadro negro e as salas de aula repletas de alunos deram lugar aos telefonemas

Os trabalhos no Telegramática são feitos em dois turnos. Em cada um deles, quatro professores se dividem nos atendimentos. Quando a questão pega e gera dúvida até no professor, o jeito é recorrer ao grupo que chega a se reunir para acabar com a polêmica

Os professores do Telegramática não perguntam a profissão de quem tem alguma consulta a fazer. Mas, na base do “adivinhômetro”, baseado no estilo da pergunta, Valentina estima que na liderança dos que mais tiram dúvidas de gramática pelo telefone estamos nós, jornalistas. Depois, vêm os gerentes de empresas, pintores de faixas e os publicitários, como o João Marcelo Veras. Ele já encerrou vários trabalhos só depois de ligar para as professoras

O Telegramática completou 30 anos de funcionamento, em março deste ano. A ideia foi inspirada em um serviço que já era feito nos Estados Unidos. Em Curitiba, os atendimentos são feitos por professores ligados à Secretaria Municipal de Educação. Desde que foi criado, o Telegramática já fez mais de 1 milhão e 400 mil atendimentos para mais de 700 mil usuários. Em caso de qualquer dúvida, o telefone do Telegramática é o 3218.2425.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*