Projeto que agiliza liberação de vagas no IML é aprovado

Foto: Pedro de Oliveira/Alep

Foi aprovado ontem (quarta) na Assembleia Legislativa do Paraná, em primeira votação, um projeto de lei que deve agilizar o enterro de cadáveres não identificados.

Segundo o texto, de autoria do Executivo, os cadáveres que não forem reconhecidos em 15 dias após a entrada no IML (ou então que forem identificados, mas não reclamados por nenhum familiar ou responsável), serão encaminhados para o sepultamento, que ocorrerá após 30 dias.

Hoje, segundo o Sindicato dos Peritos Oficiais e Auxiliares do Paraná, há nas “geladeiras” (câmaras frias) do IML corpos de pessoas mortas há vários meses ou anos, desde 2014. A lei também prevê que o município onde ocorreu a morte será responsável pelo enterro. Hoje, sem esta lei, Curitiba se responsabiliza pelos cadáveres de 39 cidades da região.

O acúmulo destes corpos não reconhecidos é um dos grandes gargalos do IML. Somente em 2014, o governo do Estado levantou que não se conseguiu identificar 8,17% dos cadáveres registrados no Paraná, ou 761 mortos de um total de 9317 cadáveres deram entrada nos necrotérios das 18 unidades do IML no estado.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*