PSDB decide hoje sobre expulsão de Derosso

Hoje tem reunião no PSDB para decidir se o pedido do deputado federal Fernando Francischini sobre a expulsão do ex-presidente da Câmara de Vereadores, João Cláudio Derosso, será levado em frente. Se for aceito, Derosso será convocado ainda esta semana para se defender e depois disso vai haver uma votação para decidir. Se expulso Derosso pode perder o mandato de vereador e passar o cargo para o suplente Edson do Parolin. Uma saída é que ele peça a desfiliação do partido, assim não corre o risco de perder o resto de mandato, mas por ter passado o prazo de filiação partidária não pode concorrer à reeleição. João Cláudio Derosso é investigado por supostamente ter autorizado gastos irregulares com publicidade e a contratação de funcionários fantasmas, além de nepotismo por contratar a sogra e a cunhada para cargos públicos. Em 2011 dados do Tribunal de Contas mostraram gastos na câmara com publicidade de 30 milhões de reais, no período de 2006 a 2011. O que chamou atenção é que a empresa da esposa do vereador, a jornalista Cláudia Queiroz, estava entre as beneficiadas. Cláudia ainda ocupava um cargo comissionado na Câmara, e não poderia participar de licitações. O presidente do PSDB em exercício, e também presidente da Assembleia Legislativa, deputado Valdir Rossoni, não vai se pronunciar antes da reunião. O deputado Fernando Francischini, que fez o pedido de expulsão, também só fala após a reunião. Derosso informou que ainda não recebeu nenhuma notificação do partido. Com a aproximação da eleição, que acontece em outubro, o PSDB teme pelo desgaste da imagem do partido depois das investigações abertas para investigar os casos. Derosso está a 15 anos na presidência da Câmara, porém renunciou no início do ano depois das denúncias se agravarem e perder o apoio da maioria dos vereadores.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*