Reajuste do mínimo regional preocupa indústria

O aumento de 10,32% no salário mínimo regional proposto pelo governo do estado tem causado preocupação no setor industrial. Com o reajuste, o salário vai passar a variar de 783 reais e 20 centavos a 904 reais e 20 centavos, dependendo da categoria. O mínimo regional deve ficar 25% maior que o piso nacional. O projeto que propõe o reajuste foi enviado na última quarta-feira para a Assembleia Legislativa do Paraná e tramita em regime de urgência na Casa. O aumento vai passar a valer a partir do dia primeiro de maio. O vice-presidente da Federação das Indústrias do Paraná, Hélio Bampi, reclama que o aumento não foi discutido com o setor industrial. Ele afirma que o reajuste pode pressionar a negociação de salário de outras categorias, em setores que enfrentam dificuldades. O índice de 10,32% representa aumento real de 5,1%, acrescido de 4,97% do Índice Nacional de Preço ao Consumidor. Para o vice-presidente da FIEP preocupa o fato do governo ter anunciado que vai manter o aumento de 5,1% no ano que vem, mais a variação do INPC. O Secretário Estadual do Trabalho, Luiz Cláudio Romanelli, garante que houve um amplo debate em relação ao aumento do mínimo regional. Ele diz que o valor proposto pelo governo está dentro da realidade econômica do estado. No ano passado, o aumento do mínimo regional foi de 6,9%.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*