Regiões da cidade mais afetadas pela chuva são vistoriadas nesta quarta-feira (07)

Foto: Bruna Valle / BandNews Curitiba – arquivo

Os trabalhos para recuperar os sete bairros de Curitiba que registraram alagamentos, por causa do temporal de maior volume da história da cidade, vão continuar ao longo dos próximos dias. A Prefeitura de Curitiba promete montar uma força-tarefa para solucionar todos os estragos da cidade, mas não determinou um prazo para resolver os problemas. De acordo com o Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná), o volume da chuva ontem (terça) chegou a mais de 118 milímetros, maior que o valor esperado para todo o mês de junho – uma média de 101 milímetros. As regiões mais afetadas foram vistoriadas na manhã de hoje (quarta-feira, 07) pelo vice-prefeito e Secretário de Obras, Eduardo Pimentel.

Algumas ruas da região da região central, como Visconde de Nacar e a João Negrão também ficaram alagadas, mas hoje (quarta) o tráfego segue normalmente. De acordo com a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, os bairros mais afetados foram: Santa Quitéria, Boqueirão, Cidade Industrial, Xaxim, Cajuru, Centenário. O Rio Guaíra, localizado no Parolin, transbordou. Para o vice-prefeito, apesar de o município prever enchentes ao longo do ano, a chuva de ontem (terça) superou qualquer expectativa

O coordenador da Defesa Social, José Carlos da Silva, disse que cada secretaria do Município colocou os técnicos nas ruas para averiguar os estragos e estão trabalhando por tempo indeterminado, até que o problema se resolva.

A orientação da Prefeitura é de que os estragos nos bairros decorrentes das chuvas sejam repassados para a Central do telefone 156. Todos os casos de ruas danificadas constatados são repassados à Coordenaria de Obras de Curitiba, um setor dentro da Setran que dá os alvarás para todas as obras que acontecem em via pública, além de acionar a Sanepar e os distritos da Prefeitura de Curitiba para providenciar os reparos. O coordenador da defesa civil falou que, acima de tudo, é preciso manter a calma durante a chuva.

De acordo com a Prefeitura, não houve casos de famílias desabrigadas ontem (terça), mas a Fundação de Ação Social orienta que nestes casos ou de família que tenham perdido bens como colchoes e cobertores, abram protocolos pelo 156 e busquem os Centros de Referência da Assistência Social mais próximo de seus bairros até que a situação seja normalizada.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*