Salário médio cresceu 73% em seis anos no Paraná

O salário médio pago tanto pela iniciativa privada quanto pela administração pública cresceu quase 73% – em seis anos no Paraná. De 2010 a 2016, a média da remuneração aumentou quase R$ 1200. Os dados são do último balanço do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), através do levantamento divulgado pelo Ministério do Trabalho.

De acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), ao descontar a inflação durante estes seis anos, o salário no estado aumentou mais de 15%. Conforme os números registrados, o salário no Paraná teve um aumento significativo em relação à média brasileira. No estado, o valor passou de mil, quinhentos e oitenta e seis para dois mil, setecentos e quarenta e um reais. No mesmo período, o Brasil registrou uma remuneração média de R$ 1742 para R$ 2852  – um avanço de quase 64%. Descontada a inflação, o país teve um reajuste real de mais de 9%.

Segundo o diretor-presidente do Ipardes, Júlio Suzuki Junior, os setores que mais influenciaram o avanço na remuneração no estado foram: o industrial, o agropecuário e o de serviços. 11.06 – CRESCE SALARIO 01 De acordo com o levantamento, os setores da indústria têxtil, do vestuário e tecidos tiveram o maior avanço nestes seis anos. As indústrias químicas de produtos farmacêuticos, veterinários e agropecuários ficaram em segundo lugar na pesquisa de avanço salarial.

Segundo o levantamento do Ipardes, a remuneração no ramo de ensino aumentou 75%. Já os salários nas instituições de crédito tiveram um reajuste de 51%. Segundo Júlio Suzuki Júnior, por causa da crise econômica, o desemprego atingiu todo o país. No entanto, o Paraná conseguiu um resultado positivo. 11.06 – CRESCE SALARIO 02 Ainda de acordo com o levantamento, em seis anos, o Paraná registrou mais de três milhões de trabalhadores com carteira assinada – um aumento de 8%, de 2010 a 2016.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*