Segurança Pública realiza mega operação para a vinda do ex-presidente Lula à Curitiba

Foto: Juliana Goss / BandNews Curitiba

Foto: Juliana Goss / BandNews Curitiba

A Secretaria de Segurança Pública do Paraná detalhou como vai funcionar o esquema montado para o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na Justiça Federal em Curitiba, nesta quarta-feira (10). Efetivos da Polícia Militar vão fiscalizar a entrada e a saída de moradores nas ruas do entorno do prédio. A partir das 23h desta terça-feira (09) serão bloqueados seis pontos no entorno da Justiça Federal e somente pessoas cadastradas poderão acessar o local. Na praça na Avenida Anita Garibaldi, onde fica a estrutura, o congelamento de área será total. Ainda na Avenida, haverá bloqueio da Setran, da Rua São Sebastião até a Eça de Queiroz. De acordo com o coronel Maurício Tortato, Comandante-geral da PM PR, os bloqueios vão permanecer até o término do depoimento e as saídas do ex-presidente e também das equipes de reportagem que já estão posicionadas no entorno.

Os efetivos das polícias militar, civil, rodoviária federal e operações especiais foram escalados para garantir a segurança. Reforços de outros municípios do Estado foram chamados para o esquema, no entanto, isso não deve atrapalhar o trabalho das polícias nas demais cidades. A secretaria não divulga o número exato dos efetivos, porém, depois da Copa do Mundo, esta pode se tornar a maior operação conjunta das forças policiais do Estado.

O secretário de Segurança Pública, Wagner Mesquita, destaca que a população deve evitar além da região onde está a Justiça Federal, os pontos onde estão programados protestos. Os manifestantes favoráveis ao ex-presidente Lula devem se concentrar na Praça Santos Andrade e eventualmente na Boca Maldita, no centro da cidade, e aqueles que apoiam da Operação Lava Jato, devem se posicionar em frente ao Museu Oscar Niemeyer.

Cerca de vinte ônibus com manifestantes, a maioria oriundos de São Paulo, de apoio ao ex-presidente, já chegaram a capital nesta terça-feira (09). A expectativa da Polícia Rodoviária Federal é de que, até o início da tarde desta quarta-feira (10), venham mais 36 ônibus de movimentos sociais que se cadastraram, totalizando 1350 passageiros.

No entanto, esse número pode chegar até a 100 ônibus, já que o Departamento de Estradas e Rodagem do Paraná ainda está monitorando a cadastrando veículos. Os manifestantes desembarcam no acampamento que foi montado nos fundos da Rodoferroviária de Curitiba.

Os ônibus ficam estacionados em frente ao estádio Pinheirão, no Tarumã. Segundo o Superintendente da Polícia Rodoviária Federal do Paraná, Adriano Furtado, todos os veículos passam por vistorias da Polícia Rodoviária Federal. Nesta terça-feira, foram encontrados em alguns deles, foices e facas que foram apreendidas.

A Polícia Civil também irá participar das ações. De acordo com o Delegado do Comando de Operações Policiais Especiais, Rodrigo Brown, as pessoas que forem detidas nas manifestações serão encaminhadas para o Primeiro Distrito Policial da capital, na Rua André de Barros, no centro.

A Secretaria de Segurança Pública ressalta que, em todos os locais onde estão programadas manifestações, haverá efetivos da Polícia Militar. Como não existe previsão de término do depoimento do ex-presidente Lula e existem atos agendados para a noite de quarta-feira (10), a mobilização policial deve durar até o fim do dia.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*