Jader Barbalho diz não ter feito indicações na Petrobras em depoimento

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O Senador Jader Barbalho, do PMDB do Pará, disse em depoimento ao juiz Sérgio Moro que nunca fez qualquer indicação de nomes para ocupação de cargos na diretoria da Petrobras. O parlamentar falou como testemunha de defesa em ação penal relacionada a 38ª fase da operação Lava Jato. Esta etapa, chamada de operação Blackout, foi deflagrada em fevereiro deste ano e tem como principais alvos Jorge e Bruno Luz que teriam atuado como operadores do PMDB no esquema de desvio de recursos da Petrobras. Durante a audiência, Jader Barbalho disse que conheceu Jorge Luz na década de 80 ainda quando ocupava o cargo de governador do Pará. O senador explicou que à época o acusado prestava serviços de consultoria para a Companhia de Saneamento do Estado e que teve encontros com ele apenas de natureza social.

 

O senador ainda comentou que conheceu os ex-diretores da Petrobras, Paulo Roberto Costa e Nestor Cerveró. No entanto, negou que tenha dado qualquer apoio aos ex-dirigentes para a manutenção de cargos na estatal nos anos de 2006 e 2007.  

 

Jorge e Bruno Luz permanecem presos no Complexo Médico Penal, em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Segundo o Ministério Público Federal, os lobistas movimentaram mais de 40 milhões de dólares em propinas a peemedebistas e agentes públicos em cinco contratos da estatal no Brasil e no exterior. Entre os beneficiários estava o deputado cassado Eduardo Cunha. A denúncia apura irregularidades em contratos da Petrobras de navios-sonda entre 2006 e 2007.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*