Senadora Gleisi Hoffmann e ex-ministro Paulo Bernardo serão julgados pelo STF na semana que vem

(Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

A senadora e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, deve ser julgada pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal na próxima terça-feira (19). Neste processo, ela e o marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, são acusados de receber R$ 1 milhão do esquema de corrupção na Diretoria de Abastecimento da Petrobras que teria sido destinado à campanha de Gleisi para o Senado em 2010. Os réus são acusados dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Este deve ser o segundo julgamento de uma ação penal da Lava Jato na Segunda Turma do STF. A análise do processo será feita pelos ministros Celso de Mello, Edson Fachin, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Dias Toffoli. A primeira ação penal desmembrada da operação e analisada pelos ministros foi a que envolvia o deputado federal do Paraná, Nelson Meurer. Ele foi condenado a 13 anos de prisão em regime fechado pelo STF por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo a acusação, o político recebeu 29 milhões de reais do esquema de corrupção na Petrobras. Ele foi o primeiro político com mandato condenado pelo STF na Operação Lava Jato. A denúncia da Procuradoria-Geral da República contra Gleisi e Paulo Bernardo foi recebida pelo Supremo em setembro de 2016. Em nota, a senadora afirma que a acusação é forjada por criminosos condenados na Lava Jato que negociam benefícios em troca de delações mentirosas. Ela diz ainda que vê com alívio o dia em que a Justiça terá a oportunidade de absolvê-la.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*