Sérgio Moro ouviu hoje delatores da Lava Jato relacionados à empresa UTC e Toyo Setal

sergio-moro-notaa

O juiz federal Sérgio Moro ouviu hoje (segunda) o dono da empreiteira UTC, Ricardo Pessoa e o engenheiro Marcos Berti, ligado à Toyo Setal, ambos delatores da Operação Lava Jato. A ação penal tem como um dos principais réus o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nesta ação, Lula é acusado de receber um terreno onde seria construída a nova sede do Instituto Lula. A construção não chegou a ser iniciada.

No depoimento que serve para compor o processo, Ricardo Pessoa voltou a afirmar que os pagamentos de propina por empreiteiras eram feitos porque os executivos “eram incitados”.

O delator também comentou sobre os valores pagos diretamente aos diretórios dos partidos. Questionado sobre o relacionamento com Lula, Ricardo Pessoa afirmou que não tratou de pagamentos de propina com o ex-presidente Lula.

Também delator, o engenheiro Marcos Berti, ligado à Toyo Setal, citou fatos relacionados a combinações de preços para as licitações da Petrobras.

De acordo com os delatores, existiam 16 empresas que integravam o grupo para divisão de obras, entre elas a Odebrecht, Andrade Gutierrez, UTC, Setal, Queiroz Galvão. Nesta ação, de acordo com os procuradores, um terreno teria sido comprado pela Odebrecht em troca de contratos com a Petrobras. Lula responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os interrogatórios desta ação devem continuar até o dia 7 de junho. Depois dessa fase, ainda serão ouvidas todas as testemunhas de defesa. É neste processo que a defesa do ex-presidente Lula convocou 87 testemunhas. O juiz Moro chegou a exigir a presença do réu em todos os depoimentos, mas a determinação foi derrubada no Tribunal Regional Federal, pelo juiz Nivaldo Brunonni, que substitui o desembargador João Pedro Gebran Neto, que está em férias.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*