Servidores ocupam Câmara para impedir votação de projeto que corta benefícios do funcionalismo de Colombo

Foto: Divulgação

Servidores municipais de Colombo ocuparam o Plenário da Câmara de Vereadores da cidade na tarde desta terça-feira (20) e impediram a segunda votação de um projeto que corta benefícios da carreira do funcionalismo público. Pelo menos duas propostas de autoria do Poder Executivo Municipal encaminhadas à Câmara ameaçam direitos dos servidores de Colombo. O primeiro deles foi aprovado por 13 votos a 3 em primeira discussão nesta terça-feira. Em seguida, os servidores que acompanhavam a sessão ocuparam o plenário e a sessão extraordinária que seria aberta foi suspensa. Entre as medidas previstas no projeto estão a mudança na data base do funcionalismo público municipal de maio para janeiro, a suspensão das progressões na carreira e aumento no desconto do vale-transporte. A diretora do Sindicato dos Professores de Colombo (APMC) Silmara Aparecida Mayer, diz que os servidores não participaram de nenhuma discussão sobre os projetos, que interferem na carreira do funcionalismo público.

 

Depois que a sessão foi suspensa, os funcionários públicos decidiram deixar a Câmara de Vereadores. Mas segundo Silmara Mayer, eles permanecem em vigília, à espera da convocação da sessão extraordinária.

 

A pequena oposição à gestão da prefeita Beti Pavin (PSDB) reclama que a tramitação do projeto na Câmara foi conduzida de forma apressada, sem debate com os servidores, nem com os próprios vereadores. Uma comissão conjunta, formada pelas Comissões de Constituição e Justiça, de Finanças, Orçamento e Economia, aprovou a proposta do Executivo, sem as emendas apresentadas pelo vereador Anderson Prego (PT). Para ele, o procedimento é irregular.

 

As emendas apresentadas pelo vereador procuravam assegurar direitos que foram retirados no projeto do Executivo. Anderson Prego diz que a oposição exige que a segunda votação da proposta seja divulgada para que os servidores possam acompanhar a votação.

 

A Câmara de Vereadores pode convocar uma sessão extraordinária para a votação do pacote de ajustes com um prazo mínimo de 24 horas de antecedência. A próxima sessão ordinária da Casa está marcada para terça-feira da semana que vem (27). Não conseguimos contato com representantes da Prefeitura de Colombo nesta terça-feira.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*