Suspeitos de arrastão a ônibus na Linha Verde são encontrados pela polícia

Foto: Divulgação/Polícia Civil

É gravíssimo o estado de saúde do passageiro do transporte coletivo que foi baleado na cabeça durante um arrastão dentro de um ônibus na noite da última quinta (8). Joseildo Marcelino de Souza, 37 anos, está internado na UTI do Hospital do Trabalhador, em Curitiba, inconsciente e corre risco de morte. Segundo informações da polícia, ele teria reagido à abordagem de um grupo criminoso que embarcou no coletivo da linha Rurbana, na Linha Verde, na região do bairro Tatuquara. Eram três bandidos, e dois deles já estão nas mãos da polícia.

Um dos suspeitos é Andrey Lobo, 19 anos. Ele foi encontrado e preso por policiais da Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba menos de 24 depois do crime. As equipes também chegaram ao segundo envolvido, um adolescente de 16 anos, que foi apreendido, mas o terceiro bandido, já identificado, segue foragido. É o que explica o delegado Emmanoel David, que conduz as investigações.

De acordo com a polícia, Andrey foi o responsável pelo disparo que feriu Joseildo e também era quem estava no comando da ação criminosa. O homem teria reagido ao ver que um dos bandidos dava pancadas na cabeça de uma mulher. Toda ação foi marcada por bastante violência e os passageiros ficaram em pânico.

O delegado esclarece ainda que Andrey vem de uma família com histórico de crimes, incluindo assaltos a ônibus e homicídios.

Baleado, Joseildo foi levado pelo motorista do ônibus a uma Unidade de Pronto-Atendimento e, de lá, ele foi encaminhado de ambulância ao Hospital do Trabalhador. A mulher grávida também precisou de atendimento na UPA, mas está bem.

De acordo com a Guarda Municipal, os suspeitos entraram no coletivo no ponto em frente ao Ceasa e deram voz de assalto momentos depois. Quem tiver informações que ajudem na localização do terceiro bandido pode fazer a denúncia pelo telefone (41) 3218-6100.

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*