TJ julga recurso que pode aumentar pena de policial acusada da morte de copeira

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) deve julgar na nesta semana o recurso que pode aumentar a pena da policial civil Kátia das Graças Belo, acusada da morte da copeira Rosaira Miranda da Silva, em dezembro de 2016, no Centro Cívico, em Curitiba.

A defesa da família da vítima pede que as qualificadoras do crime sejam incluídas no processo. Já o advogado da policial entrou com recurso e quer que Kátia das Graças Belo responda por homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar.

A sessão de julgamento será na próxima quinta-feira. Rosaira tinha 45 anos e foi atingida enquanto participava de uma confraternização de Natal na empresa onde trabalhava. A investigadora efetuou os disparos pela janela da casa dela por estar incomodada com o barulho da festa.

Em julho do ano passado, o juiz Daniel Surdi de Avelar, confirmou que há indícios de autoria e materialidade do crime para que Kátia seja levada a júri popular. Caso a decisão do TJ do Paraná não seja considerada satisfatória para alguma das partes, defesa e acusação ainda podem entrar com novos recursos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal (STF).

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*