Transportes por aplicativos repassam mais de três milhões de reais aos cofres públicos

Foto: divulgação / Prefeitura de Curitiba

O serviço de transporte oferecido por aplicativos, como Uber e Cabify, já repassou três milhões e seiscentos mil reais aos cofres municipais em apenas três meses. O valor se refere ao preço público pago pelas empresas pelo uso intensivo da infraestrutura urbana na exploração comercial do serviço que vendem aos consumidores.

A medida foi incluída na regulamentação realizada pela Prefeitura no ano passado. Só os três mil taxistas de Curitiba pagam juntos anualmente quatro milhões e meio de reais.

A expectativa é que o transporte oferecido por aplicativos repasse dez milhões de reais a mais ao longo de um ano. O preço público passou a ser cobrado após o cadastramento das empresas de transporte compartilhado na cidade, ocorrido em setembro do ano passado.

Os valores arrecadados até agora são dos meses de outubro, novembro e dezembro (além de dez dias de setembro). Atualmente, quatro companhias estão cadastradas em Curitiba: Uber, Cabify, 99 Pop e Ecodrivers, mas esta última não está com os serviços ativos.

Segundo a regulamentação, as empresas pagam por quilômetro rodado dos veículos em três diferentes faixas: R$ 0,08 por quilômetro para corridas de até 5 km; R$ 0,05 para corridas entre 5 e 10 km; e R$ 0,03 para corridas acima de 10 km. O valor é recolhido até o quinto dia útil de cada mês, referente ao mês anterior.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*