Trem de passageiros volta a operar na Lapa a partir de junho

(Foto: divulgação/ Prefeitura Lapa)

A Lapa está prestes a recuperar um dos patrimônios da cidade que não funciona há mais de 20 anos. É o trem de passageiros que vem sendo aguardado por moradores e turistas e que volta a circular no mês de junho. A iniciativa faz parte das comemorações dos 249 anos do município da região metropolitana da capital, e representa apenas o primeiro passo para o retorno definitivo do turismo ferroviário à localidade.

Quem explica é o coordenador-geral de Comunicação Social e Eventos da Prefeitura, Marcio Assad.

O plano de retorno do trem de passageiros à Lapa foi anunciado há cerca de dois meses e é conduzido dentro do projeto Museu Dinâmico da Ferrovia, já aprovado pela ANTT. A proposta prevê, no futuro, saídas tanto durante a semana, para levar estudantes que visitam a Lapa atrás de conhecimento histórico e cultural, quanto aos finais de semana, para atender visitantes.

Para Assad, que nasceu, cresceu e que é também diretor de Turismo da cidade, o ressurgimento da locomotiva transforma os sonhos de muitas crianças na maior felicidade. Ele conversou com Daiane Andrade.

A locomotiva 11 nada mais é do que a maria-fumaça que permaneceu exposta por anos a fio no Shopping Estação, em Curitiba. A composição, fabricada em 1873, foi a primeira movida a vapor que circulou no Paraná. Inicialmente, seria ela a estrela principal da volta do trem de passageiros à Lapa, mas foi necessário antes fazer uma reforma, toda ela artesanal, que já está em fase de finalização.

O Museu Dinâmico da Ferrovia deve ser implantado depois de testes como este previsto para junho que foi anunciado com o apoio da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF). Nesta primeira etapa, os passeios serão realizados duas vezes por dia – um de manhã e outro à tarde – entre os dias 13 e 17, mas o número de saídas pode aumentar dependendo da procura do público.

O trem que vai operar em junho tem capacidade para cerca de 300 pessoas. Os ingressos vão custar R$ 60 (ida e volta) e serão vendidos pela internet.

O valor foi definido pela ABPF, que detém os direitos de exploração desse tipo de turismo, e quem for morador da cidade vai poder comprar antes. Por outro lado, crianças menores de cinco anos de idade não vão precisar pagar.

Mais informações, como o site onde os ingressos serão disponibilizados, serão divulgadas pela Prefeitura na próxima semana.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*