Três ônibus desobedeceram as determinações de trajeto determinadas pela Polícia para chegada ao Couto Pereira 

Foto: Polícia Civil Pr

Três ônibus e uma van com torcedores do Corinthians, que vieram de São Paulo, fizeram um trajeto diferente e não obedeceram às determinações da Polícia com relação a chegada e escolta dos torcedores do time corintiano ao Estádio Couto Pereira. A afirmação é da Secretaria de Segurança Pública do Paraná.

Os veículos passaram perto da torcida organizada do Coritiba e foram alvejados com pedras e paus. Um torcedor do Corinthians foi espancado no meio da confusão e caiu desacordado. Outros torcedores do Coritiba continuaram agredindo o torcedor, mesmo com ele no chão e sem reação. Ele foi encaminhado ao hospital e teve alta no começo da tarde desse domingo.

Um homem de 24 anos foi preso em flagrante, suspeito de tentativa de homicídio.  Uma equipe da Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos, a Demafe, prendeu o rapaz no meio da torcida organizada Império, do Coritiba.  Ele aparece nas  imagens analisadas pela Polícia Civil.  Todo o restante do comboio, com 46 veículos de torcedores do Corinthians foi até o posto Itaqui, da PRF, que foi o local acordado para que houvesse a escolta da Polícia e chegou ao estádio sem problemas. Segundo o Secretário de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita, o grupo que estava no ônibus não obedeceu as determinações da polícia.

Segundo o Tenente coronel Wagner, da PM, os torcedores que estavam nos três ônibus que foram para próximo do Estádio Couto Pereira NÃO eram integrantes de torcidas organizados do Corinthians. Segundo a PM, o objetivo deles era buscar o enfrentamento com a torcida do Coritiba.

A polícia identificou três dos sete suspeitos de agredir o torcedor do Corinthians que ficou desacordado. Segundo o delegado da Demafe, Clóvis Galvão, o suspeito que foi preso não tinha antecedentes criminais.

A torcida Império Alviverde, do Coritiba, em uma nota nas redes sociais disse que cerca de 50 torcedores do Coritiba estavam no local na hora do incidente, que eles viram que os visitantes estavam chegando próximo a loja do clube e então houve o conflito entre as torcidas. A nota diz que “a torcida do Coritiba tinha que proteger os seus domínios” e termina a nota dizendo que não desejam o pior a ninguém e que “para toda ação existe uma reação” e que diante das circunstâncias eles “jamais fugiriam da luta”. Também por meio de nota o Coritiba disse que repudia o que aconteceu e que “em nome da decência, o clube manifesta a reprovação aos fatos ocorridos”. O clube também disse que tem a postura de absoluta colaboração para as investigações e demais esclarecimentos, a fim de punir os envolvidos. O técnico do Corinthians também se manifestou e disse que já passou da hora de episódios desse tipo serem evitados pelas autoridades.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*