Vaccari Neto, Renato Duque e Mario Goes ficam em silêncio em depoimento à Justiça

Foto: Câmara Federal

Foto: Vaccari Neto (divulgação / Câmara Federal)

Os três réus da operação Lava Jato que foram convocados a prestar depoimento à Justiça Federal nesta sexta-feira (17) utilizaram o direito constitucional de permanecerem em silêncio. Estavam agendadas audiências do tesoureiro afastado do PT, João Vaccari Neto, do ex-diretor de serviços da Petrobras, Renato Duque, e de Mario Goes, apontado como operador do esquema de corrupção da estatal. Esta seria a oportunidade dos três réus se defenderam em processo referente a 10ª fase da Operação Lava Jato, batizada “De que país é esse?”. O advogado Alexandre Lopes, que faz a defesa de Renato Duque, explicou que os réus ficaram calados porque o juiz já tem a decisão sobre a condenação dos acusados mesmo sem tem proferido sentença.

Moro deu um prazo de cinco dias para que o Ministério Público Federal apresente complementações sobre as investigações. Depois disso, a defesa tem um prazo para protocolar as alegações finais e na sequência o processo segue para que o juiz profira a sentença. Ao todo, 12 pessoas respondem a esta ação penal por lavagem de dinheiro. Além de Duque e Vaccari, também respondem ao processo o doleiro Alberto Youssef, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o ex-gerente e se serviços Pedro Barusco.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*