Vereador é condenado por extorsão em Londrina

O juiz da Terceira Vara Criminal de Londrina, Katsujo Nakadomari, condenou o vereador Joel Garcia (PP) a dois anos e oito meses de prisão por concussão – extorsão praticada por servidor público. O crime teria ocorrido em 2009, quando Joel Garcia teria exigido do então secretário de Gestão Pública, Marco Cito, que a empresa de sua família vencesse uma licitação para fornecer produtos alimentícios para a merenda escolar. Caso a empresa não fosse contemplada, passaria a fazer oposição sistemática ao prefeito Barbosa Neto (PDT), de quem havia sido líder na Câmara. Apesar de ser condenado, o parlamentar nega que tenha feito qualquer tipo de exigência. E aproveita para desqualificar as testemunhas no processo contra ele. Hoje, todas são acusadas de compra de votos.

Esta não é a única ação que o vereador responde. Ele é processado por supostamente manter funcionária fantasma no gabinete. Acusação que o parlamentar também nega.

Em 2010, ele chegou a ser preso acusado de coagir testemunhas na investigação sobre suposta funcionária fantasma no gabinete dele.

O vereador disse que vai recorrer ao Tribunal de Justiça do Paraná contra a condenação de dois anos e oito meses de prisão. A sentença permite que ele recorra em liberdade. Se condenado, ele poderá pagar a pena com prestação de serviços à comunidade por seis meses.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*